Inaguraçom do Aturuxo (Boiro) o 16 de fevereiro

 

A asociaçom cultural e juvenil Aturuxo somos um grupo de rapazes e rapaças que ponhemos em marcha o Local Social Aturuxo na Barbança, para dinamiçar o tecido associativo e cultural da comarca...

Outro espazo recén aberto en Ferrol: O Fervesteiro.

Próxima apertura dun novo espazo en A Corunha: O C.S.Gomes Gaioso.

Tres espazos sociais de aniversario nestas datas:Gentalha do pichel , A Revolta e O Fresco (sucesso em galizalivre).

Outros espazos sociais en GZ: Casa encantada , Cova dos ratos, Atreu, Faisca , Revira , Artabria , Roi Soga , A Esmorga , A Fouce , Aguilhoar , A Tiradoura , Baiuca Vermelha , Madia Leva , Arrincadeira , A formiga.

Outras novas vencelhadas: Can Vies es del barri.

A asociaçom cultural e juvenil Aturuxo somos um grupo de rapazes e rapaças que ponhemos em marcha o Local Social Aturuxo na Barbança, para dinamiçar o tecido associativo e cultural da comarca...

Outro espazo recén aberto en Ferrol: O Fervesteiro.

Próxima apertura dun novo espazo en A Corunha: O C.S.Gomes Gaioso.

Tres espazos sociais de aniversario nestas datas:Gentalha do pichel , A Revolta e O Fresco (sucesso em galizalivre).

Outros espazos sociais en GZ: Casa encantada , Cova dos ratos, Atreu, Faisca , Revira , Artabria , Roi Soga , A Esmorga , A Fouce , Aguilhoar , A Tiradoura , Baiuca Vermelha , Madia Leva , Arrincadeira , A formiga.

Outras novas vencelhadas: Can Vies es del barri.

É un projecto cujos objectivos som a dignificaçom e o espalhamento da língua e cultura galegas, a livre expressom e o movimento social ante a desgaleguizaçom que sofre o pais em geral e zona na que vivemos em concreto, luitar contra das injustiças sociais, a especulaçom... e oferecer tambem umha alternativa lúdica à que nos tem acostumad@s esta sociedade de consumo.

Nós jogamos com avantagem, fomos colhendo um pouquinho de acá e outro pouquinho de acolá até ter mais ou menos a idéia do que queremos que seja Aturuxo. Queremos contribuir á difussom de alternativas de lazer, queremos organizarmo-nos e defender, denunciar, trabalhar polo que nós consideramos justo.

O certo é que foron outros/as as que começarom, nós conhecemos um pouco a dinámica e valoramos mui interesante o trabalho dos “centros sociais” (aínda que este é um termo co que se englobam projectos mui diferentes). O nosso contacto inicial foi especialmente destacado cos locais de Compostela, onde estudamos moitas/os das socias. E assim como quem nom quere a cousa algum dia coincidimos a falar de que se na Gentalha do Pichel fam tal, que se a Casa Encantada tem qual...

Temos umhas linhas básicas dentro das quais cada quem se situa com a sua opiniom pessoal. Cremos na luita antipatriarcal, na difussom e potenciaçom da nossa cultura e do nosso idioma, na defensa do meio ambiente, no respeito aos animais, no direito de autodeterminaçom dos povos, na criaçom de formas de lazer alternativos, etc...

Consideramos preciso, e mesmo urgente, que se difunda por todo o país umha outra forma de fazer cousas, ofrecer um espaço para a expressom das silenciadas e silenciados e para a acçom directa da mocidade. Queremos ter um local desde onde berrar para espertar à comarca, ser um projecto que medre que nom se feche entre quatro paredes, senom que percorra o monte, protegendo-o dos lumes especuladores, que atrave-se a ria defendendo-a de criminais, que se meta nas casas chamando á vecinhança toda à resistência, a erguer-se contra a perda da nossa identidade e a destruçom da nossa terra. Que berrem as mulheres contra o patriarcado assasino, que luiten as moças/os cara a cara coa precariedade, e que nom tenha que marchar mais ninguém, nom queremos mais diáspora. E que se escuite por todo o país o aturujo da Barbança.

homepage:: http://galiza.indymedia.org read more: http://galiza.indymedia.org/gz/2008/02/14119.shtml

add a comment on this article